Previous
Next
Da Economia
das COISAS
para a economia
das GENTES.
Da Economia
das COISAS
para a economia
das GENTES.
#EuDesejoEconomiaAoNatural

Oikos – do grego, casa – e nomos – costume ou lei, é a origem da palavra economia, que significa o conjunto de leis, regras e costumes de vida na casa em que todos habitamos. O problema é que a casa está muito descuidada. E, exceto os nossos, não existem braços e mentes capazes de mudar essa condição. Mãos à obra, portanto!

Saiba, porém, algo fundamental: não existe uma única economia. Reconhecer os tipos de economia e fazer a escolha correta por um deles é o primeiro passo para viver a economia ao natural.

A economia das coisas e a economia das gentes

A economia das coisas serve para resolver o nosso bem-estar por meio de produtos e serviços existentes no mercado. E conseguiu grande êxito, principalmente depois da explosão tecnológica. A busca frenética pelo bem-estar, no entanto, impede que se alcance o bem-viver. É na economia das gentes que intensificamos as relações humanas, os valores virtuosos, os propósitos comuns, a liberdade de criar, a convivência harmoniosa em comunidade, incluindo a Natureza, capazes de nutrir a vida para além do que nos alimenta.

Merecemos tanto o bem-estar como o bem-viver, portando a economia das gentes antes da economia das coisas.

A economia de fora e a economia de dentro

Economia de fora é a economia da escassez. Olhar para fora é se deparar com informações que sinalizam a falta, o tempo todo. A economia de dentro é onde reside a intuição, a imaginação e a coragem de abrir picadas por onde ninguém ainda havia passado. A criatividade e as inteligências humanas não são escassas.

A economia não começa nos mercados. Começa nos corações humanos. Nada mais natural do que a casa onde o nosso coração habita.

A economia ao natural é a casa acolhedora e inclusiva, oferece luz e esperança. Quem dela se aproxima leva consigo a ética dos valores virtuosos e os bons fluídos das relações humanas saudáveis.

Benignar a Vida, é disso que trata a economia ao natural.

#BenignarVidas
O Instituto Economia ao Natural nasce em 2021 com o propósito de Benignar Vidas, por meio de projetos e ações, que entrelaçam arte, música, poesia, natureza, negócios e pessoas e fortaleçam a Economia ao Natural.

Nossas realizações.

SouPaideia

Preparo de jovens para realizar atitudes e comportamentos protagonistas, estabelecer relações éticas e humanas e viver o seu propósito na escola, na universidade na empresa e na comunidade.

Memorial Claudio Pastro

Espaço de arte criado para fortalecer a espiritualidade.

Brasil ao Natural

Cores (telas de Elifas Andreato), vozes (canções compostas por artistas do Prêmio Grão de Música) e palavras (textos de Roberto Tranjan) da esperança levando a Economia ao Natural por meio da arte para os negócios.

Grife Economia ao Natural

Mensagens inspiradoras para usar e para presentear amigos, família, clientes e colaboradores.

É assim que levamos a Economia ao Natural para comunidades, escolas,instituições e empresas, dividindo a oportunidade de benignar vidas.
#Desideratos

Em 2014, um grupo de empresários se reuniu em Atibaia, interior de São Paulo, para cocriarem os manifestos de uma Nova Economia, um contraponto com a velha economia. Após alguns anos, os manifestos criados formaram 15 grandes desejos e se tornaram os princípios norteadores do Instituto Economia ao Natural.

 Como fazemos na prática?

SouPaideia – Preparo de jovens para realizar atitudes e comportamentos protagonistas, estabelecer relações éticas e humanas e viver o seu propósito na escola, na universidade na empresa e na comunidade.

 

Memorial Claudio Pastro – Espaço de arte criado para fortalecer a espiritualidade.

 

Brasil ao Natural- Cores (telas de Elifas Andreato), vozes (canções compostas por artistas do Prêmio Grão de Música e Socorro Lira) e palavras (textos de Roberto Tranjan) da esperança levando a Economia ao Natural por meio da arte para os
negócios.

 

Camisetas Economia ao Natural Mensagens inspiradoras para usar e para presentear amigos, família, clientes e colaboradores.


É assim que levamos a Economia ao Natural para comunidades, escolas,instituições e empresas, dividindo a oportunidade de benignar vidas.

Em 2014, um grupo de empresários se reuniu em Atibaia, interior de São Paulo, para cocriarem os manifestos de uma Nova Economia, um contraponto com a velha economia. Após alguns anos, os manifestos criados formaram 15 grandes desejos e se tornaram os princípios norteadores do Instituto Economia ao Natural.

Benignamos Vidas
Empresas parceiras do Instituto Economia ao Natura
#EuDesejoEconomiaAoNatural

Oikos – do grego, casa – e nomos – costume ou lei, é a origem da palavra economia, que significa o conjunto de leis, regras e costumes de vida na casa em que todos habitamos. O problema é que a casa está muito descuidada. E, exceto os nossos, não existem braços e mentes capazes de mudar essa condição. Mãos à obra, portanto!

Saiba, porém, algo fundamental: não existe uma única economia. Reconhecer os tipos de economia e fazer a escolha correta por um deles é o primeiro passo para viver a economia ao natural.

A economia das coisas e a economia das gentes

A economia das coisas serve para resolver o nosso bem-estar por meio de produtos e serviços existentes no mercado. E conseguiu grande êxito, principalmente depois da explosão tecnológica. A busca frenética pelo bem-estar, no entanto, impede que se alcance o bem-viver. É na economia das gentes que intensificamos as relações humanas, os valores virtuosos, os propósitos comuns, a liberdade de criar, a convivência harmoniosa em comunidade, incluindo a Natureza, capazes de nutrir a vida para além do que nos alimenta.

Merecemos tanto o bem-estar como o bem-viver, portando a economia das gentes antes da economia das coisas.

 

A economia de fora e a economia de dentro

Economia de fora é a economia da escassez. Olhar para fora é se deparar com informações que sinalizam a falta, o tempo todo. A economia de dentro é onde reside a intuição, a imaginação e a coragem de abrir picadas por onde ninguém ainda havia passado. A criatividade e as inteligências humanas não são escassas.

A economia não começa nos mercados. Começa nos corações humanos. Nada mais natural do que a casa onde o nosso coração habita.

A economia ao natural é a casa acolhedora e inclusiva, oferece luz e esperança. Quem dela se aproxima leva consigo a ética dos valores virtuosos e os bons fluídos das relações humanas saudáveis.

Benignar a Vida, é disso que trata a economia ao natural.

#BenignarVidas

O Instituto Economia ao Natural nasce em 2021 com o propósito de Benignar Vidas, por meio de projetos e ações, que entrelaçam arte, música, poesia, natureza, negócios e pessoas e fortaleçam a Economia ao Natural.

 

Como fazemos na prática?

 

Projeto SouPaideia

Preparo de jovens para realizar atitudes e comportamentos protagonistas, estabelecer relações éticas e humanas e viver o seu propósito na escola, na universidade na empresa e na comunidade.

 

Memorial Claudio Pastro

Espaço de arte criado para fortalecer a espiritualidade.

 

Brasil ao Natural

Cores (telas de Elifas Andreato), vozes (canções compostas por artistas do Prêmio Grão de Música e Socorro Lira) e palavras (textos de Roberto Tranjan) da esperança levando a Economia ao Natural por meio da arte para os negócios.

 

Camisetas Economia ao Natural

Mensagens inspiradoras para usar e para presentear amigos, família, clientes e colaboradores.

 

 

É assim que levamos a Economia ao Natural para comunidades, escolas, instituições e empresas, dividindo a oportunidade de benignar vidas.